As 50 obras essenciais da literatura portuguesa

Quem é o autor mais importante da literatura portuguesa? Quais são as obras fundamentais em todos os géneros literários?

Os Lusíadas de Luís de Camões continua a ser a obra mais importante da literatura nacional.

Em seguida, o Livro do Desassossego de Fernando Pessoa (heterónimo Bernardo Soares) é aquela que os especialistas mais apreciam.

Quais serão então as outras obras essenciais dos nossos escritores?

O DN quis apurar quais são as 50 obras essenciais da literatura nacional desde o seu início e chegou a uma conclusão com a ajuda de vários entendidos na matéria.

Primeiro, elaborou-se uma lista com 80 autores. Com o crivo do especialista em literatura portuguesa Miguel Real fez-se a primeira versão.

Em seguida, a escolha foi confrontada com várias opiniões de entendidos em autores e áreas. Foram ouvidos António Mega Ferreira, Francisco Vale, Isabel Alçada, Isabel Pires de Lima, Manuel Alberto Valente, Maria Alzira Seixo, Nuno Júdice, Pedro Mexia, Viale Moutinho e Zeferino Coelho.

Por fim, acertadas as melhores obras de cada um, eliminados alguns autores e acrescentados outros, chegou-se à versão final. Que foi de novo ao crivo de outro especialista na nossa literatura, Fernando Pinto de Amaral. A versão final só foi obtida ao fim de um mês.

A escolha final está assim dividida: as 25 obras essenciais em todos os géneros; os dez melhores ensaios; as cinco melhores peças de Teatro e os dez livros de Poesia mais importantes.

Eis a lista:

Os Lusíadas, Camões

Livro do Desassossego, Fernando Pessoa

Sermões, Padre António Vieira

Os Maias, Eça de Queiroz

Cancioneiros Medievais (Cantigas de Amigo e de Amor)

Crónica de D. João I, Fernão Lopes

Peregrinação, Fernão Mendes Pinto

Memorial do Convento, José Saramago

Viagens na Minha Terra, Almeida Garrett

A Brasileira de Prazins, Camilo Castelo Branco

Sôbolos Rios que Vão, António Lobo Antunes

A Sibila, Agustina Bessa-Luís

Sonetos, Antero de Quental

Húmus, Raul Brandão

Livro Sexto, Sophia de Mello Breyner Andresen

Menina e Moça, Bernardim Ribeiro

Mau Tempo no Canal, Vitorino Nemésio

A Arte de Ser Português, Teixeira de Pascoaes

A Casa Grande de Romarigães, Aquilino Ribeiro

Sinais de Fogo, Jorge de Sena

Aparição, Vergílio Ferreira Aparição

O Delfim, José Cardoso Pires

Uma Abelha na Chuva, Carlos de Oliveira

Maina Mendes, Maria Velho da Costa

Uma Viagem à Índia, Gonçalo M. Tavares

POESIA

Obra Poética, Sá de Miranda

Poesia, Bocage

O Livro, Cesário Verde

, António Nobre

Clepsidra, Camilo Pessanha

Poemas de Deus e do Diabo, José Régio

As Mãos e os Frutos, Eugénio de Andrade

Pena Capital, Mário Cesariny

A Colher na Boca, Herberto Helder

Toda a Terra, Ruy Belo

TEATRO

O Auto da Barca do Inferno, Gil Vicente

A Castro, António Ferreira

Auto do Fidalgo Aprendiz, Francisco Manuel de Melo

Guerras de Alecrim e Manjerona, António José da Silva

O Judeu, Bernardo Santareno

ENSAIO

Leal Conselheiro, Rei D. Duarte

Quod nihil scitur, Francisco Sanches

O Verdadeiro Método de Estudar, Luís António Verney

Portugal Contemporâneo, Oliveira Martins

A Ideia de Deus, Sampaio Bruno

Ensaios, António Sérgio

Ir À Índia Sem Sair de Portugal, Agostinho da Silva

O Labirinto da Saudade, Eduardo Lourenço

Tratado da Evidência, Fernando Gil

O Erro de Descartes, António Damásio

Artigo original em:

https://www.dn.pt/artes/interior/as-50-obras-essenciais-da-literatura-portuguesa-5140124.html 

Deixe uma resposta