Seria Lewis Carroll pedófilo?

Todos nós conhecemos a história da menina que é atraída para um buraco por um coelho muito apressado, porém sabe o que aconteceu por trás da criação desta história?

Lewis Carroll, pseudónimo de Charles Lutwidge Dogson, publicou a primeira versão do seu célebre conto em 1865.

1ª Edição de Alice no País das Maravilhas

 

De onde veio a história?

Toda a história foi concebida durante um passeio que Carroll fez com três pequenas crianças, filhas de um amigo próximo. Eram elas Lorina, Alice e Edith.

Lorina, Alice e Edith

O nome de Alice

Das três, a preferida era Alice que, além de ser homenageada como personagem principal, também foi fonte de inspiração para o pseudônimo de Carroll, isto porque as iniciais LC em inglês são pronunciadas como El Ci, trocadilho de Alice.

Até aqui está bem, porém é neste momento que as coisas começam a tornar-se bastante obscuras.

Pedófilo?

Segundo consta, Carroll era mais do que aficionado pelas meninas, segundo ele, era um apaixonado por crianças, porém com exceção dos meninos.

As suspeitas de pedofilia aumentaram quando foram encontradas fotografias das crianças tiradas por ele, seminuas ou até mesmo nuas por completo.

Porém há quem diga que ele era apenas apaixonado pela governanta das meninas e por isso estava sempre próximo.

Quem era Lewis Carroll?

O notório autor era, na verdade, um professor e matemático da Universidade de Oxford e por isso tinha uma veia bastante enigmática e crítica das coisas.

O seu conto foi escrito durante a Era Vitoriana, onde todos esperavam uma atitude educada e afável, por isso Alice é dócil e amável, contrapondo todas as pessoas horríveis com quem convivia.

O coelho apressado

O Coelho que estava sempre com pressa também tinha sua crítica por trás, já que a sociedade inglesa tinha o forte costume de reprimir e sofrer repressão de todos.

Vários outros autores e obras inglesas também foram satirizados, assim como os hábitos escolares da época.

Lembra-se da Corrida Maluca organizada pelo Dodó que ocorre no meio da narrativa?

Seu nome, em inglês, seria “Caucus-Race” que, em tradução livre, significa Corrida do Comité Político.

A crítica aqui era bastante direta, já que os personagens corriam em círculos sem parar ou sem chegar a lugar algum, mas sempre com o objetivo de receber um prémio no final.

“Cortem as cabeças”

“Cortem as cabeças! “, esta é uma das frases mais conhecidas do livro, porém como o próprio Grifo dizia, eles, na realidade, nunca cortavam as cabeças.

Este foi um simbolismo a Monarquia que vinha perdendo seu poder no século XIX, momento em que foi eleito pelo Parlamento o primeiro primeiro-ministro da história da Inglaterra.

Utilização de drogas?

Também existem evidências que o autor escreveu a história utilizando drogas, isso porque a lagarta passa o tempo a fumar uma espécie de cachimbo de água, oferecendo ainda cogumelos mágicos para que Alice cresça, sendo uma clara analogia a alucinogénios.

Crise existencial

Outro assunto abordado ao longo de toda a narrativa é a crise existencial, isso porque Alice passou por tantas transformações que nem ao menos sabe dizer quem é.

Recorda-se do emblemático Chapeleiro Maluco?

Supostamente existiria justificação para sua loucura, isso porque antigamente os chapeleiros utilizavam mercúrio para trabalhar e, por ser um material bastante tóxico, com o tempo poderia causar tremores nos olhos, alucinações e acessos psicóticos.

O Gato

Por fim, todos conhecemos e adoramos o enigmático gato que desaparece deixando apenas seu sorriso no ar.

Conta-se que Lewis Carroll tinha fortes enxaquecas que acabavam causando alucinações, algo que teria sido fortemente representado pelo sorriso do gato.

Conspiração?

E quanto a conspiração? Há uma interpretação que um internauta fez sobre a história, dizendo que Alice sofreria de esquizofrenia e vivia sobre o efeito de drogas, num sanatório onde também sofria abusos sexuais exercidos por quem a deveria ajudar.

Segundo a lenda, cada personagem que aparece no conto seria uma representação de alguém que o autor conheceu durante a sua vida.

Já o buraco era sua vontade de fugir daquele terrível lugar.

Artigo original em
https://www.tricurioso.com/2016/04/22/terriveis-fatos-sobre-alice-no-pais-das-maravilhas/

Clique aqui para aceder à bibliografia de Lewis Carroll

Deixe uma resposta