Franz Kafka (1883 – 1924)

Franz Kafka (1917)

Franz Kafka nasceu numa família judia, de classe média, que falava alemão, a 3 de julho de 1883 em Praga, Boémia, agora República Checa.

Franz com 5 anos de idade Franz era o mais velho de seis filhos.

Kafka com 5 anos

Ele tinha dois irmãos mais novos que morreram na sua infância e três irmãs mais novas (Gabriele (1889-1941), Valerie (1890-1942), Ottilie (1892-1943), todos os quais pereceram em campos de concentração.

O seu pai, Hermann Kafka (1852-1931), foi descrito como um tirano doméstico imensamente mal-humorado, que em muitas ocasiões dirigiu sua raiva para o seu filho e foi desrespeitoso em relação à sua fuga para a literatura.

O pai de Kafka era um homem de negócios que se estabeleceu como um vendedor porta a porta independente de artigos e acessórios extravagantes masculinos e femininos, empregando até 15 pessoas.

Durante toda a sua vida, Kafka lutou para chegar a um acordo com seu pai dominador.

A mãe de Kafka, Julie (1856-1934), era filha de um cervejeiro próspero e era mais instruída do que o marido.

Ela ajudou o marido a administrar os negócios e trabalhou mais de 12 horas por dia.
As crianças foram criadas em grande parte por uma série de governantas e servos.

De 1889 a 1893, Franz frequentou a Deutsche Knabenschule, uma escola primária para meninos em Praga.

Kafka na juventude

Ele foi enviado para escolas alemãs, não para checas, o que demonstra o desejo do pai pelo progresso social.

A sua educação judaica era limitada principalmente ao seu bar mitzvah e a ida à sinagoga quatro vezes por ano com seu pai, o que não lhe dava muito para continuar.

Em 1901, formou-se no Altstädter Gymnasium, uma escola secundária bastante rigorosa.

Saiu-se bem na escola, tendo aulas como latim, grego e história.

Depois da escola secundária, ele foi para a Universidade Charles Ferdinand, onde no início ele decidiu estudar química, mas mudou duas semanas depois para Direito.

No final de seu primeiro ano, ele conheceu outro aluno, um ano mais novo do que ele, Max Brod, que se tornaria um grande amigo ao longo da sua vida, junto com o jornalista Felix Weltsch, que também estudou Direito.

Kafka e Max Brod

Kafka obteve o grau de Doutor em Direito em 18 de junho de 1906 e cumpriu um ano obrigatório de serviço não remunerado como funcionário de justiça nos tribunais civis e criminais.

No final de 1907, Kafka começou a trabalhar numa grande companhia de seguros italiana, onde permaneceu durante quase um ano.

A sua correspondência durante esse período testemunha que ele estava insatisfeito com seu horário de trabalho – das 20h às 18h -, já que se tornava bastante difícil concentrar-se nas suas escritas.

Em 15 de julho de 1908, ele despediu-se e poucas semanas depois encontrou emprego mais adequado no Instituto de Seguro de Acidentes do Trabalhador para o Reino da Boémia.

Trabalhou até julho de 1922, quando se aposentou por motivos de doença.

Muitas vezes referia-se ao seu trabalho (agente de seguros) como um “trabalho de pão”, um trabalho feito apenas para pagar as contas.

No entanto, ele não mostrou sinais de indiferença em relação ao seu trabalho, já que as várias promoções que ele recebeu durante sua carreira provaram que ele era um empregado trabalhador.

Paralelamente, Kafka também estava comprometido com sua obra literária.

O Processo

Em 1912, na casa de seu amigo Max Brod, Kafka conheceu Felice Bauer, que morava em Berlim.

Nos cinco anos seguintes, corresponderam-se numerosas vezes, encontraram-se ocasionalmente e acabaram por casar.

O seu relacionamento terminou em 1917.

Nesse ano, Kafka começou a sofrer de tuberculose, o que exigiria convalescença frequente durante o qual ele foi apoiado por sua família, mais propriamente a sua irmã Ottla.

No início da década de 20, ele teve um relacionamento intenso com a jornalista e escritora tcheca Milena Jesenská.

Em 1923, ele mudou-se para Berlim na esperança de se distanciar da influência da sua família e para se concentrar na sua escrita.

Em Berlim, ele viveu com Dora Diamant, uma professora de jardim de infância de 25 anos de idade, oriunda de uma família judia ortodoxa, que era independente o suficiente para ter escapado do seu passado no gueto.

Dora tornou-se a sua amante e influenciou o interesse de Kafka no Talmud – um livro da lei judaica.
É geralmente aceite que Kafka sofreu de depressão clínica e ansiedade social ao longo de toda a sua vida.

Também sofreu de enxaquecas, insónia, constipação, furúnculos e outras doenças, todas geralmente causadas por tensões e esforços excessivos.

Tentou neutralizar tudo isso com um regime de tratamentos naturopatas: como uma dieta vegetariana e o consumo de grandes quantidades de leite não pasteurizado.

Apesar de tudo isso, sua tuberculose piorou; Ele voltou a Praga, depois foi para o sanatório Dr. Hoffmann para tratamento, onde morreu em 3 de junho de 1924.

Lápide de Franz Kafka

Os seus restos mortais foram enterrados ao lado dos seus pais, sob um obelisco de dois metros, no Novo Cemitério Judaico de Praga, em Olsanske.

Deixe uma resposta