25 de fevereiro de 1855 – nasce Cesário Verde

José Joaquim Cesário Verde (Lisboa, Madalena, 25 de Fevereiro de 1855 — Lisboa, Lumiar, 19 de Julho de 1886) foi um poeta português, considerado um dos precursores da poesia que seria feita em Portugal no século XX.

Filho do lavrador e abastado negociante e ferrageiro José Anastácio Verde (1813-1888) e de sua mulher Maria da Piedade David dos Santos (1821-1890).

Aos 18 anos de idade Cesário matriculou-se no Curso Superior de Letras, mas apenas estudou alguns meses.

Ali conheceu Silva Pinto, que ficou seu amigo para o resto da vida.

Dividia-se entre a produção de poesias publicadas em jornais, destacando-se o semanário “Branco e Negro” (1896-1898) e as revistas “O Occidente” (1878-1915), “Renascença” (1878-1879) e no periódico “O Azeitonense” (1919-1922), e as actividades comerciais na Rua dos Fanqueiros, legado do seu pai, descendente de comerciantes genoveses de nome Verdi.

No ano de 1877 começou a apresentar indícios de tuberculose pulmonar, doença que já tinha levado a sua irmã Maria Júlia Verde (1853-1872) e posteriormente seu irmão Joaquim Tomás Verde (1858-1882).

Estas mortes inspiraram, contudo, um de seus principais poemas, “Nós” (1884).

Tinha mais um irmão, Jorge dos Santos Verde (1861-1941), que casou com uma das filhas de Manuel Pinheiro Chagas, e uma irmã, Adelaide Eufémia Verde (1856-1859), falecida de anginas.

Tenta curar-se da tuberculose, mas, sem sucesso.

Falece no dia 19 de julho de 1886, no lugar do Paço do Lumiar, aos 31 anos, sendo sepultado em jazigo no Cemitério dos Prazeres.

No ano seguinte Silva Pinto organiza “O Livro de Cesário Verde”, compilação das suas poesias publicada em 1901.

O seu pai faleceria dois anos depois, em 30 de setembro de 1888, aos 75 anos, em Linda-a-Pastora, e a mãe em 26 de janeiro de 1890, aos 68 anos, na Lapa.

Deixe uma resposta